O que é o Psicodrama (de orientação não directiva)?

O que é o Psicodrama (de orientação não directiva)?

O que é o Psicodrama (de orientação não directiva)? 720 540 Ana Monção

(Em breve abrirá um Grupo de Psicodrama que será anunciado neste blog)

O Psicodrama (orig. concebido porLevi Moreno, 1921) de orientação não directiva, rogeriano, consiste na dramatização de uma história (real ou fictícia) por um grupo.

Tem como facilitador da comunicação inter-participantes um terapeuta principal e, eventualmente, um terapeuta com a função de observador-participante.

Pela sua natureza, o psicodrama envolve o corpo, a verbalização, emoções e reacções comportamentais face à situação dramatizada, pedindo-se aos participantes que usem da sua espontaneidade na dramatização.

Ao desempenhar um papel numa situação (cena de um acidente de carro, discussão entre colegas, cena amorosa, etc) cada um descobre como reage e o que sente em relação a essa situação e em relação aos outros indivíduos que nela contracenam. O papel do facilitador é o de tornar essas reacções, sentimentos, emoções visíveis e compreensíveis para cada um.

O Psicodrama rogeriano compreende 4 principais etapas:

  1. Escolha do tema – todos os participantes podem propor uma história para ser representada, sendo que só uma delas – a que for consensualmente escolhida – será representada. Escolhida essa história, quem a propõe designa entre os membros do grupo os personagens para a representar, podendo estes aceitar ou recusar esse convite;

  2. Representação – dá-se lugar à representação da qual só farão parte os personagens escolhidos, ficando os restantes membros do grupo no círculo externo apenas como observadores. Estes têm, porém, duas possibilidades de entrar na representação: na qualidade de Novo Personagem ou por Dobragem, isto é tocando no ombro de um personagem já em cena de forma a exprimir o que consideram ser os seus sentimentos ou pensamentos que tem/experiencia, mas não diz;

  3. Partilha: o facilitador dirige-se a cada membro do grupo que representou de forma a que exprima e compreenda o que vivenciou durante a representação. Esta conversa é depois alargada ao grupo num todo, todos podendo comentar/partilhar o que observaram ou sentiram;

  4. Síntese – no final, o terapeuta faz uma síntese geral para o grupo de tudo o que considerou ser mais relevante durante a sessão.

São regras de funcionamento a confidencialidade, a presença durante todas as sessões (com horários e duração previamente estipulados) e a participação em caso de saída definitiva.

%d bloggers like this: