Em nenhum lado e em todo o lado

Em nenhum lado e em todo o lado

Em nenhum lado e em todo o lado 800 534 Ana Monção

O coreógrafo William Forsythe traduziu este sentimento de inquietação que experimentamos de estar em todo o lado e não estar em lado nenhum. Na sua Instalação,  oitenta pêndulos obrigam os visitantes a movimentos inesperados imprevisíveis  e espelhos deformam o movimento.

Abaixo outra proposta coreográfica de Forsythe – “One flat thing, reproduced”.

forsythe one flat thiing

 

 

%d bloggers like this: